Sisu 2021 abre inscrições em 6 de abril

O Ministério da Educação (MEC) publicou nesta quinta-feira (11) o edital do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) de 2021. As inscrições vão começar em 6 de abril e se encerram no dia 9 do mesmo mês. O resultado será divulgado em 13 de abril.

O Sisu seleciona candidatos a vagas em universidades públicas por meio da nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Estudantes que prestaram o Enem poderão se inscrever no SISU em abril
Estudantes que prestaram o Enem poderão se inscrever no SISU em abril

2 min Estudantes que prestaram o Enem poderão se inscrever no SISU em abril

Estudantes que prestaram o Enem poderão se inscrever no SISU em abril

As inscrições começam no dia 6 e vão até o dia 9. Edital já está disponível.

Por causa da pandemia, o Enem 2020 foi adiado de novembro para janeiro, e as notas serão divulgadas em março. Isso fez com que o governo também adiasse o período de inscrições do Sisu para que a nota do Enem da edição mais recente pudesse ser usada.

Outros programas de acesso ao ensino superior, como o de bolsas em universidades privadas (Prouni) e o de financiamento de mensalidades (Fies), abriram inscrições em janeiro e a seleção ocorre por meio da nota de edições anteriores do Enem.

As inscrições para o Prouni foram encerradas em 15 de janeiro e a seleção já está na segunda chamada.

As inscrições para o Fies também já foram encerradas. Os resultados foram divulgados em 3 de fevereiro e, agora, os selecionados têm até 18 de março para comprovarem as informações prestadas.

Candidatos do Enem 2020 tiveram que enfrentar desigualdade no acesso às ferramentas de tecnologia e à internet para se preparar para as provas, após as escolas serem fechadas para conter a propagação do coronavírus.

A prova impressa foi feita em 17 e 24 de janeiro. A realização foi marcada por ações judiciais que pediam novo adiamento porque os casos e mortes voltaram a crescer. Os pedidos foram negados. A prova ocorreu em quase todo o país, exceto no Amazonas e em duas cidades de Rondônia, que suspenderam as provas também devido à pandemia.

As incertezas sobre os cuidados para evitar aglomerações e a falta de preparo dos alunos levou à maior abstenção da história do Enem: 55,3% dos inscritos esperados não foram às provas. Ainda assim, o primeiro dia de exame teve candidato impedido de entrar nas salas de provas porque elas já estavam lotadas.

Esta edição também teve a aplicação inédita do Enem digital. As provas em computadores são uma aposta do MEC, que pretende tornar o exame 100% digitalizado até 2026. A realização desta versão foi em 31 de janeiro e 7 de fevereiro e a abstenção também foi alta: 73,5% não foram fazer o exame.

Ainda haverá outras duas datas de aplicação do Enem: em 23 e 24 de janeiro, quem teve problemas logísticos ou diagnóstico confirmado de Covid poderá refazer o exame.

Nesta sexta (12), o Inep, responsável pelo Enem, vai divulgar o resultado da análise dos pedidos de reaplicação de quem fez o Enem impresso. No mesmo dia, vence o prazo para os candidatos do Enem digital pedirem a reaplicação. Os casos são analisados individualmente pelo Inep e a aprovação ou não do pedido poderá ser conferida na Página do Participante. O endereço é https://enem.inep.gov.br/participante/

VÍDEOS: Educação

200 vídeos

VÍDEO: Provas 'serão por volta de novembro, dezembro', diz Lopes sobre Enem 2021

Mulheres negras afirmam que gabarito oficial do Enem 2020 traz resposta racistaCandidatos contam que foram impedidos de fazer a prova do enem por causa de salas lotadas