Pesquisa aponta que 51% ainda não se inscreveu no vestibular da instituição que deseja estudar

Uma pesquisa divulgada nesta terça-feira (24) pela Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (Abmes), feita pela Educa Insights, aponta que 51% dos entrevistados ainda não se inscreveram no processo seletivo da instituição na qual deseja estudar.

Por outro lado, em novembro aumentou a intenção de começar uma graduação, se comparado a meses anteriores da pandemia. A pesquisa indica que 38% quer começar a graduação imediatamente, no próximo semestre. Em julho, eram 14%,

“Ainda há uma inércia deste público, bastante clara, que tende a virar nos meses que são os principais de captação [de matrícula], que são janeiro e fevereiro. Embora tenha aumento na intenção [de fazer graduação], ainda há um efeito da pandemia aí”, afirma Daniel Infante, diretor da Educa Insights, ao comentar os dados.

A pesquisa foi feita entre 13 e 15 de novembro, com 1.102 pessoas de 17 a 50 anos que desejam ingressar em cursos presenciais e a distância ao longo dos próximos 18 meses.

Os dados também mostram que:

  • 51% se diz confortável para fazer a prova presencial, caso as instituições sigam as recomendações de segurança dos órgãos reguladores;
  • 18% ainda não sabem dizer se estão seguros para fazerem provas presenciais;
  • 75% farão o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) neste ano de olho em descontos e bolsas de estudo em instituições privadas.

Em relação às áreas mais procuradas, a pesquisa aponta aumento na busca por cursos na área de saúde.

De acordo com a Abmes, entre os 15 cursos mais procurados, destacam-se as graduações em enfermagem, psicologia, educação física, biomedicina, nutrição e fisioterapia. Estes 15 cursos mais procurados representam mais de 73% das intenções de matrícula no ensino superior privado.

Enem é ‘coringa’ no acesso ao ensino superior

A nota do Enem pode ser considerada um “coringa” para estudantes que querem uma vaga no ensino superior. Ela serve como vestibular para universidades públicas e privadas, além de permitir a disputa por bolsas de estudos e financiamentos de mensalidades.

Na pesquisa da Abmes e da Educa Insight, os dados apontam que:

  • 75% farão o Enem para, com a nota do desempenho, conseguir o melhor desconto na mensalidade ou bolsas de estudo possíveis;
  • 16% buscará melhores acessos ao financiamento do curso com a nota do Enem
  • 9% fará Enem de olho em uma bolsa do Programa Universidade para Todos (Prouni), do Ministério da Educação (MEC).

O Enem 2020 será aplicado nos dias 17 e 24 de janeiro (prova impressa) e 31 de janeiro e 7 de fevereiro (prova digital). A data original, em novembro, foi adiada devido à pandemia do coronavírus.

Pandemia altera processos seletivos

Vestibulares se adaptam à pandemia e terão até prova online

Vestibulares se adaptam à pandemia e terão até prova online

Com a pandemia do coronavírus, diversos vestibulares do fim deste ano tiveram que se adaptar, e muitas universidades optaram por adiar as provas.

Assim, a maratona de exames, prevista para começar em novembro, foi adiada para o início de 2021. Outras instituições optaram por fazer provas on-line, com sistema anti-cola. Veja o que mudou no calendário de vestibulares e exames por causa da pandemia.

Playlist: Educação

20 vídeos

Brasileira está entre os 10 finalistas do Global Teacher Prize

Número de novos alunos em cursos superiores à distância quase quintuplicaUniversidades públicas são a maioria entre as que receberam nota máxima no Enade