Mulher de 44 anos faz Enem pela 3ª vez em RR e diz que sonha em fazer psicologia: 'Nunca é tarde'

Letícia Alves dos Reis, de 44 anos, faz o Enem pela terceira vez em Boa Vista — Foto: Suzanne Oliveira/G1 RR 1 de 1
Letícia Alves dos Reis, de 44 anos, faz o Enem pela terceira vez em Boa Vista — Foto: Suzanne Oliveira/G1 RR

Letícia Alves dos Reis, de 44 anos, faz o Enem pela terceira vez em Boa Vista — Foto: Suzanne Oliveira/G1 RR

Letícia Alves dos Reis, de 44 anos, faz a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) pela terceira vez em Boa Vista, neste domingo (24). Ela sonha em fazer psicologia, mas só conseguiu terminar o ensino médio em 2016.

Ela nasceu e cresceu na vila Água Fria, uma pequena comunidade localizada no Uiramutã, no extremo Norte de Roraima.

Letícia contou que na região só era ofertado ensino até a quarta série e só pôde continuar os estudos, por meio da Fundação Bradesco, quando se mudou para capital do estado.

“Então, procurei a escola para terminar o ensino médio. Eu fiz o Enem a primeira vez para testar e consegui uma nota, mas não tinha terminado o terceiro ano, aí depois eu fiz valendo, não consegui de novo e tô tentando de novo”, disse.

Segundo ela, sua maior vontade é ter uma profissão, para ajudar sua família. Se não alcançar o maior sonho, que é a psicologia, seu plano B é concorrer uma vaga em pedagogia.

“Vou fazer e acreditar que uma hora a gente consegue. Como falei para a minha colega de prova, nunca é tarde. Vejo pessoas que são de mais idade do que eu e conseguem e pensei, porque que a gente não consegue, a gente não é diferente”.

O sonho de cursar psicologia veio após o filho dela sofrer com ansiedade. Ela contou que deseja ajudar outras pessoas como ele.

“Eu tenho um filho que está passando por um processo de ansiedade. Eu vejo, através dele, que muitas pessoas precisam da gente. Aí, procurei [um curso] que é para ajudar as pessoas. Eu vejo que com ele, estou aprendendo muita coisa, então é a minha vontade fazer esse curso”.

A estudante contou, ainda, que foi difícil se preparar para a prova em um ano totalmente atípico, causado pela pandemia de Covid-19, mas que teve a ajuda do filho que a incentivou e ajudou a estudar.

“Tive a ajuda do meu filho também, ele está passando por esse processo, mas ele tem me ajudado, colocando as videoaulas para eu assistir”, disse.

Os portões foram abertos às 10h30 (horário local) e fecharam às 12h. A prova iniciou às 12h30 e segue até as 17h30.

Neste domingo, os inscritos devem responder questões de matemática e ciências da natureza.