Ministro da Educação admite dificuldades na aplicação do Enem devido à pandemia: 'Alguns ruídos'


Ele afirmou ainda que possíveis casos de candidatos prejudicados serão analisados pelo governo. Quase 5 mil candidatos com sintomas respiratórios pediram reaplicação do Enem em todo país Ministro da Educação Milton Ribeiro faz avaliação sobre o Enem em visita a Goiânia
Reprodução/TV Anhanguera
O ministro da Educação, Milton Ribeiro, admitiu neste domingo (17), em visita a um colégio de Goiânia, que houve algumas dificuldades na aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) devido à pandemia. Alunos que foram prejudicados durante esse processo terão a situação avaliada pelo ministério.
“Claro que, no meio dessa pandemia, houve alguns ruídos, dificuldades, que vão ser averiguados”, afirmou.
Ele visitou o Colégio Militar Hugo de Carvalho Ramos ao lado do governador Ronaldo Caiado (DEM) e da secretária de Educação, Fátima Gavioli. Ribeiro disse que, até as 16h45, não tinha todos os dados, que quase 5 mil candidatos com sintomas respiratórios pediram reaplicação do Enem em todo país.
Ainda segundo o ministro, os estudantes que possam ter sido prejudicados terão suas situações avaliadas pelo governo. “Creio que o governo federal tem maturidade suficiente para agir com justiça e equidade com os alunos que eventualmente foram prejudicados”, disse.
Apesar das intercorrências relatadas nos estados do Sul do país, como pessoas barradas devido à lotação das salas de aula, o ministro afirmou que o Enem 2020 foi bem sucedido.
“Em termos gerais, foi muito bom. Em todas as ações judiciais que fomos alvos para impedir o Enem nós fomos vitoriosos, a única exceção, mas foi uma conversa, um acordo, foi o Amazonas”, disse.
Ribeiro reforçou que o Ministério da Educação teve êxito ao manter as provas em janeiro. “Graças a Deus não atrasamos, mesmo no meio de toda essa luta que estamos, a aplicação do Enem. O Enem é importantíssimo para a educação brasileira”, mencionou.
Problemas
No Paraná, em Santa Catarina, no Rio Grande do Sul e em São Paulo, alunos relatam que foram impedidos de fazer a prova devido a lotação das salas. Neste ano, o Inep, organizador do exame, divulgou um protocolo sobre a Covid-19 que reduziria a capacidade das salas para manter distanciamento mínimo entre os candidatos.
Nessas situações, os alunos foram orientados que a prova será reaplicada nos dias 23 e 24 de fevereiro. Porém, não foi entregue nenhum tipo de comprovante sobre o problema ou garantia da nova data.
Veja outras notícias da região no G1 Goiás.
VÍDEOS: últimas notícias em Goiás