Matemática é eleita por candidatos do AC como a mais difícil no 2º dia de provas do Enem: ‘bastante complicada’

Jamaira Tayane da Silva Marques, de 22 anos, disse que a prova mais difícil foi a de matemática — Foto: Aline Nascimento/G1 1 de 5
Jamaira Tayane da Silva Marques, de 22 anos, disse que a prova mais difícil foi a de matemática — Foto: Aline Nascimento/G1

Jamaira Tayane da Silva Marques, de 22 anos, disse que a prova mais difícil foi a de matemática — Foto: Aline Nascimento/G1

Matemática. Essa é uma disciplina que sempre foi uma das vilãs na época de escola e, neste domingo (24), segundo dia de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), não foi diferente.

Tanto os candidatos de primeira viagem, quanto os mais experientes que fizeram a prova na capital acreana, Rio Branco, elegeram a prova de matemática como a mais difícil. Outra coisa que os jovens reclamaram foi a necessidade do uso da máscara.

“Sem dúvida matemática foi a mais difícil. Fazer a prova com a máscara também atrapalhou, porque eu sinto muita falta de ar, por isso sai cedo. Já sou acadêmica de odontologia, estou tentando passar para ganhar uma bolsa. Não me preparei direito por causa da pandemia, não estava indo para a faculdade, fiquei estudando em casa”, disse a candidata Jamaira Tayane da Silva Marques, de 22 anos.

Ela falou ainda sobre a preocupação em se contaminar com a Covid-19, já que mora com a mãe, que precisa de cuidados especiais. “Eu e minha mãe ficamos em casa porque ela é acamada. Ela teve derrame, então, tem o medo, né? Hoje [domingo, 24] e no primeiro dia [ 17] tive contato com muita gente.”

É a segunda vez que Camila Cavalcante da Anunciação, de 20 anos, faz o Enem — Foto: Aline Nascimento/G1 2 de 5
É a segunda vez que Camila Cavalcante da Anunciação, de 20 anos, faz o Enem — Foto: Aline Nascimento/G1

É a segunda vez que Camila Cavalcante da Anunciação, de 20 anos, faz o Enem — Foto: Aline Nascimento/G1

É a segunda vez que Camila Cavalcante da Anunciação, de 20 anos, está fazendo o Enem. Ela tem o sonho de cursar psicologia e disse que está confiante. Para ela, matemática também foi a prova mais complicada.

“Tinha umas questões muito difíceis, algumas eu chutei, mas não todas. Sai antes do horário porque terminei tudo, não quis esperar o caderno de respostas.”

Para a jovem, fazer o Enem de máscara não a incomodou, pois, segundo ela, já se acostumou. “Já estamos usando há muito tempo, então, para mim, foi normal. Sobre meu preparo em relação às provas, estudei em casa.”

Para Eduarda Mendes de Almeida, de 19 anos, prova de matemática também foi a mais difícil — Foto: Aline Nascimento/G1 3 de 5
Para Eduarda Mendes de Almeida, de 19 anos, prova de matemática também foi a mais difícil — Foto: Aline Nascimento/G1

Para Eduarda Mendes de Almeida, de 19 anos, prova de matemática também foi a mais difícil — Foto: Aline Nascimento/G1

A opinião de Eduarda Mendes de Almeida, de 19 anos, não é diferente da dos demais candidatos. Segundo ela, matemática também foi a mais difícil.

“Química e física estavam mais fáceis, agora matemática estava muito complicado, foi, sem dúvida, a mais difícil, estava bastante complicado. Não deu para estudar muito por causa do distanciamento social e todos na minha casa pegaram Covid-19, inclusive eu, então, não tive como me preparar bem. Teve a questão também de eu não poder ir para um cursinho, estudei só em casa”, falou.

Caderno de provas do Enem 2020 — Foto: Aline Nascimento/G1 4 de 5
Caderno de provas do Enem 2020 — Foto: Aline Nascimento/G1

Caderno de provas do Enem 2020 — Foto: Aline Nascimento/G1

Pandemia atrapalhou estudos

A jovem Giovanna Silva Diniz, de 24 anos, que é casada e mãe de uma criança de 4 anos, e estudante do curso de recursos humanos, disse que o fato de ela ter ficado em casa estudando pode ter prejudicado seu desempenho.

“Me preparei, mas não muito. Porque quando a gente fica em casa durante a pandemia, como eu sou mãe e esposa, acabei cuidando mais da casa do que dos estudos, e tem também o fato de eu estar fazendo a faculdade”.

E, para ela, a prova de matemática não estava tão difícil, o que faltou foi tempo para responder todas as questões.

“A prova de matemática estava complicada, mas, ao mesmo tempo, é um pouco falta de interpretação, são muitas questões ao mesmo tempo e acaba que a gente não consegue interpretar em tão pouco tempo. Fui respondendo as mais fáceis e deixei as mais difíceis para o final, que aí a gente dá uma olhadinha e ver a possibilidade de chutar.

No Acre, portões abriram às 9h30 (horário local) — Foto: Alcinete Gadelha/G1 5 de 5
No Acre, portões abriram às 9h30 (horário local) — Foto: Alcinete Gadelha/G1

No Acre, portões abriram às 9h30 (horário local) — Foto: Alcinete Gadelha/G1

Os horários do Enem são:

  • Abertura dos portões: 9h30 (horário do Acre)
  • Fechamento dos portões: 11h (horário do Acre)
  • Início das provas: 11h30 (horário do Acre)
  • Término das provas 2º dia (24/1): 16h30 (horário do Acre).

Neste segundo domingo, os candidatos vão responder 90 questões das áreas de ciências da natureza e suas tecnologias – química, física e biologia – e de matemática e suas tecnologias. Os candidatos podem deixar a sala sem o caderno de questões a partir das 13h30 (horário do Acre).

Ao todo, 40.674 candidatos se inscreveram para fazer o Enem 2020 no Acre na modalidade de provas impressas. Desses, 19.721 marcaram presença e 20.953 faltaram.

Pela primeira vez, o Enem também conta com uma prova digital, que será aplicada nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro. No Acre, além dos mais de 40,6 mil candidatos inscritos para fazer as provas impressas, outros mais de 1,1 mil se inscreveram para fazer a versão digital.

Quem faltou no 1º dia de prova, pode fazer o exame no 2º dia?

Não. Apenas candidatos que compareceram no primeiro fim de semana, em 17 de janeiro, podem fazer as provas da segunda etapa.

Candidatos com Covid podem fazer a prova?

Não. O Inep prevê reaplicar a prova para quem tiver doenças infectocontagiosas, entre elas a Covid.

Quem tiver diagnóstico positivo e laudo médico comprovando a situação de saúde uma semana antes das provas poderá entrar na página do participante, anexar os documentos, e pedir para refazer o exame em 23 e 24 de fevereiro.

Caso os sintomas apareçam na véspera do exame, o indicado é ligar para o 0800-616161.

Frota de ônibus

Para o segundo dia de provas, a Superintendência Transportes e Trânsito de Rio Branco (RBTrans) confirmou que vai ser mantida a mesma frota do primeiro dia, com reforço de 9 carros a mais circulando para atender a demanda dos candidatos.

O reforço é de 25% na frota que estará nas ruas nos dias da prova. Ao todo, 47 coletivos vão fazer o transporte dos participantes na capital. Outros seis vão ficar de sobreaviso, caso haja necessidade.

“São 47 ônibus distribuídos nas linhas, com os carros reservas, com a fiscalização distribuídas em pontos estratégicos, para melhor atender os candidatos inscritos e os usuários usuais dos domingos”, disse o diretor de transportes RBTrans, Clendes Vilas Boas.

Medidas de segurança devido à pandemia

Segundo o Inep, as medidas de prevenção contra o coronavírus serão as mesmas para todos os lugares. Não haverá planejamento especial para os locais que estejam com aumento no número de casos. Entre as medidas, estão:

  • Uso obrigatório de máscaras para candidatos e aplicadores;
  • Disponibilização de álcool em gel nos locais de prova e nas salas (a quantidade total só será conhecida após a aplicação do exame);
  • Recomendação de distanciamento social no deslocamento até as salas de provas;
  • Identificação de candidatos do lado de fora das salas, para evitar aglomeração – haverá marcações no piso para ter distanciamento, caso haja fila;
  • Contratação de um número maior de salas: na edição de 2019 foram 140 mil locais de aplicação; agora serão 200 mil
  • Salas de provas com cerca de 50% da capacidade máxima;
  • Candidatos idosos, gestantes e lactantes ficarão em salas com 25% da capacidade máxima;
  • Higienização das salas de aulas, antes e depois do exame.

A retirada da máscara poderá ser feita, segundo o protocolo, para alimentação, ingestão de líquidos e troca do item. É recomendado que o candidato leve máscaras reservas para trocar. Candidatos ainda devem levar documento de identidade com foto e caneta de cor preta e corpo transparente.

Uma ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público Federal do Acre (MPF-AC), Defensoria Pública da União (DPU) e o Ministério Público Estadual (MPE-AC) chegou a pedir o adiamento das provas no Acre.

Porém, a Justiça Federal indeferiu, no sábado (16), o pedido para que as provas fossem adiadas.

VÍDEOS: G1 em 1 Minuto

46 vídeos

G1 em 1 minuto-AC: duas regionais regridem de faixa e governador decreta toque de recolher

G1 em 1 minuto - AC: Família segue sem notícias de jovem que sumiu em rioG1 em 1 Minuto - AC: Produtor rural preso por receptar gado é solto após pagar fiança