Jovem diz que foi 'complicado' estudar para Enem com aulas remotas e quedas de internet em RR


Emile Vitória Aguiar Pereira, de 18 anos, recorreu a livros e anotações para conseguir se preparar. Esta é a primeira vez que ela faz a prova e sonha cursar medicina veterinária na UFRR. A jovem Emile Vitória Aguiar Pereira, de 18 anos
Suzanne Oliveira/G1
A estudante Emile Vitória Aguiar Pereira, de 18 anos, faz a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) pela primeira vez. Neste domingo (24), ela e outros 16.847 inscritos devem responder questões de matemática e ciências da natureza.
Com o sonho de cursar medicina veterinária na Universidade Federal de Roraima, ela afirma que foi “complicado” se preparar para o Enem em meio à pandemia de coronavírus.
Na rede pública estadual, as aulas foram interrompidas por 15 dias e depois os alunos receberam atividades remotas para dar continuidade ao ano letivo. Atualmente, os alunos “não estão aprovados e nem reprovados”, segundo o governo.
“Foi complicado porque os ensinos foram todos por EAD e nem todo mundo teve acesso. No meu caso, busquei muita ajuda em livros e revisando conteúdos que já tinha anotado, além de estudar com conteúdos do Youtube”, explicou.
Emile disse que os livros e anotações foram essenciais pelos constantes problemas com quedas de internet em Roraima. Ela contou que ficou durante um mês sem acesso às redes porque o wi-fi travava constantemente.
Os portões foram abertos às 10h30 (horário local) e devem fechar às 12h. A prova inicia às 12h30 e segue até as 17h30.
Os candidatos são obrigados a usar máscara facial em proteção à Covid-19. A prova só pode ser feita com caneta preta, esferográfica, fabricada em material transparente.