Fuvest 2021: candidatos elegem química e física como matérias mais difíceis do exame


Estudantes relatam que a prova deste ano abordou questões envolvendo jogos e aplicativos de celular como TikTok e Among Us. Segundo eles, a pandemia da Covid-19 prejudicou a preparação para a prova de 2021. Estudantes que prestaram o vestibular da Fuvest neste domingo (10) em São Paulo e Piracicaba, no interior.
Montagem/G1
A primeira fase do vestibular da Fuvest 2021, para ingresso na Universidade de São Paulo (USP), terminou neste domingo (10) e os candidatos elegeram as questões de química, física e matemática como as mais difíceis do concurso.
Os estudantes relatam que a prova deste ano abordou questões envolvendo jogos e aplicativos de celular como TikTok, na prova Inglês, e o jogo Among Us, na prova de Química. Eles também afirmam que a pandemia prejudicou a preparação para o exame deste ano (veja vídeo abaixo).
Vestibular Fuvest 2021: candidatos elegem física a matéria mais difícil
Sophia Lopes, 18 anos, está prestando vestibular para Arquitetura e Urbanismo. Ela não teve dificuldades com a prova, mas disse que a situação da pandemia atrapalhou seu desempenho dela no concurso: “As aulas passaram de presencial para online e eu tenho mais facilidade de assimilar o conteúdo com a presença de um professor”.
TEMPO REAL: Veja a cobertura da 1ª fase da Fuvest
O que mudou no calendário de vestibulares por causa da pandemia
Os portões de prova foram fechados às 13h e alguns candidatos se atrasaram e perderam o vestibular deste ano na capital paulista. Os primeiros estudantes puderam sair dos locais de exame às 16 horas, e a prova terminou às 18 horas. Os relatos foram os mesmos: efeitos do isolamento social e as aulas à distância prejudicaram o desempenho dos estudantes.
Cerca de 130 mil candidatos inscritos participaram do vestibular, que sofreu mudanças por conta da pandemia do coronavírus.
A prova estava inicialmente prevista para novembro e foi adiada para este início de 2021, de modo que os candidatos tivessem mais tempo de estudo, após um ano letivo fora das salas de aula.
Bruno Meireles, de 25 anos, de Piracicaba, presta para Psicologia na Unimep.
Rafael Bitencourt/G1
Bruno Meireles, de 25 anos, de Piracicaba, prestou vestibular para Psicologia, fazendo o exame na Unimep da cidade. Ele avalia que as medidas contra a Covid-19, como a alimentação em outra sala, foram importantes. “Dificulta para o vestibulando, mas é necessário. Tivemos álcool em gel em dois pontos na sala e roda vez que alguém levantava era pra se higienizar”, disse.
Já o estudante Mario de Andrade Filho, 26 anos, achou as questões de física as mais complicadas. Ele está prestando para o curso de história pela terceira vez.
A Fuvest havia informado que o conteúdo da prova seria alterado, com foco nos aprendizados do primeiro e do segundo ano do ensino médio.
Jaqueline Costa, 18 anos, prestando para o curso de história pela primeira vez, ela conta que teve mais dificuldade em matérias de exatas e acredita que, por conta da pandemia, não estava tão bem preparada. “Não estou com tanta esperança, pois esse ano foi mais conturbado, eu acho que as aulas não serem presenciais, eu sempre tive aula presencial, isso afetou porque o ensino não é o mesmo.”
Natural de Piracicaba (SP), Bruno Witnann, de 18 anos, prestou o vestibular para administração de empresas na Unimep
Rafael Bitencourt/G1
Natural de Piracicaba (SP), Bruno Witnann, de 18 anos, prestou o vestibular para administração de empresas também fazendo prova na Unimep. Ele destacou, entre os conteúdos, questões de história do Brasil, genética e relacionadas a jogos de computador. “Foi mais fácil do que eu imaginava”, afirmou.
Lorena, de 18 anos, prestou o exame para Astronomia, e teve mais dificuldade nas questões de químicas por não ser muito próxima da matéria. Ela veio de Recife só pra prestar vestibular em SP, volta para a cidade ainda neste domingo (10).
“Mais dificuldade em química, senti um pouco mais o peso nessa matéria. Eu cresci tendo apoio em um ambiente, de repente esse ambiente passou a ser o meu quarto. Sempre tive apoio da escola e do cursinho”, afirmou a jovem.
Cristian Lopes Guerra, de 23 anos, veio de Manaus para SP para fazer a Fuvest, graças a uma “vaquinha” feita pelos amigos.
Acervo pessoal
O estudante Cristian Lopes Guerra, de 23 anos, veio de Manaus para prestar vestibular em São Paulo para Medicina. Conforme o G1 contou, ele conseguiu o dinheiro para embarcar para a capital paulista graças a uma “vaquinha” virtual feita pelos amigos para arrecadar recursos.
Apesar do ano de preparação, o jovem amazonense narra que teve dificuldade, principalmente, com a prova de química: “Eu pensava que a prova seria um pouco mais acessível por conta da pandemia. Mas me enganei. Teve assuntos bem mais quadrados. Em química a minha dificuldade foi porque teve uma questão que eles pediram a coloração de uma reação que eu nunca tinha estudado, mas espero ter ido bem em outras matérias”, avalia.
Candidatos realizam prova da segunda fase da Fuvest em SP
Reprodução/TV Globo
Prevenção contra a Covid-19
Os candidatos contaram com um esquema especial de cuidados para a prevenção da Covid-19. Eles não puderam comer dentro da sala de aplicação de prova e o tempo gasto com a alimentação não foi reposto.
Eliza Pereira, 19 anos, mora em Piracicaba e prestou para Ciências Sociais e fez a prova na Unimep. “A prova estava bem difícil como nos outros anos, me senti segura com as medidas protetivas, porque tinham pouquíssimas pessoas e me mantive a uma distância segura delas, foi fornecido álcool em gel, ninguém na minha sala tossiu também, foi uma prova tranquila em questões sanitárias.”
O uso de máscara também foi obrigatório durante todo o exame. Além disso, para conseguir atender ao distanciamento necessário entre as carteiras, neste ano a Fuvest teve 148 locais de prova, contra 88 em 2020. O máximo de ocupação foi de 40% em cada sala.
Outras mudanças
Neste ano serão oferecidas 11.147 vagas para ingresso na USP. Pelo menos 8.242 dessas vagas serão destinadas para seleção pelo vestibular da Fuvest. As outras 2.905 vagas serão destinadas pela USP para a seleção de estudantes pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu/Enem).
Outra novidade é que pela primeira vez, a USP vai reservar 50% das vagas para candidatos de escolas públicas como medida em prol da inclusão social, pois o plano da universidade é tornar o Sisu uma das principais modalidades de ingresso. Em 2019, 45% das vagas foram destinadas às cotas.
Outra regra oficializada está relacionada às provas de habilidades específicas. As de artes visuais foram eliminadas, e as provas de música e artes cênicas serão on-line.
Veja os 10 cursos mais concorridos da Fuvest 2021
Medicina (São Paulo) – 154,6 candidatos por vaga
Medicina (Ribeirão Preto) – 129,1 candidatos por vaga
Medicina (Bauru) – 78,4 candidatos por vaga
Psicologia (São Paulo) – 78,1 candidatos por vaga
Relações Internacionais – 55,3 candidatos por vaga
Curso Superior do Audiovisual – 46,4 candidatos por vaga
Ciências Biomédicas – 45,5 candidatos por vaga
Medicina Veterinária – 43,8 candidatos por vaga
Psicologia (Ribeirão Preto) – 41,9 candidatos por vaga
Design – 38,1 candidatos por vaga
Calendário
Prova da 1ª Fase: 10 de janeiro de 2021
Divulgação da lista de convocados para 2ª Fase: 1º de fevereiro de 2021
Provas da 2ª Fase: 21 e 22 de fevereiro de 2021
Divulgação da 1ª lista de aprovados: 19 de março de 2021.
00:00 / 24:01