Ex-morador de rua, vigia de carros presta Enem pela 1ª vez para mudar de vida: 'O que importa é a vontade'


José Eduardo Motta, de 43 anos, usou período da noite para estudar. Ele se inscreveu para a prova deste domingo (17) em Ribeirão Preto (SP) de olho em curso de administração ou direito. ENEM 2020 – Ex-morador de rua e vigia de carros, José Eduardo Motta, de 43 anos, presta Enem em Ribeirão Preto para mudar de vida
Pedro Martins/G1
Órfão e ex-morador de rua, José Eduardo Motta, de 43 anos, conta ter encarado muitas provas de determinação antes de chegar ao teste que, segundo ele, pode mudar a vida dele a partir deste domingo (17).
Vigia de carros em Ribeirão Preto (SP), ele chegou cedo ao campus da Unip neste domingo (17) para prestar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Um dos 16.250 candidatos da cidade a se inscrever, José afirma que, mais que uma forma de conseguir uma vaga em um curso de administração ou direito, ele enxerga na avaliação uma forma de mudar de vida.
“O que importa é a vontade. Nunca é tarde”, afirma.
José Eduardo conta que sempre quis fazer uma faculdade e acredita que, depois de adulto, está preparado para recomeçar por um caminho diferente.
“As universidades hoje são mais baratas. Hoje eu estou com a mente mais amadurecida. Independente do que eu escolher, seja direito ou administração, eu tenho toda a experiência do mundo para trazer para dentro da sala de aula. Estou muito mais preparado hoje do que antes.”
‘Conhecimento nunca é demais’, diz mãe que presta Enem pela 5ª vez em Ribeirão Preto
Além da dificuldade financeira e da necessidade de obter sustento durante o dia, ele conta que a pandemia deixou a preparação para os estudos ainda mais complicada.
“Foi difícil correr atrás das coisas, porque tudo estava fechado. Tive que comprar as apostilas na internet, porque nas bancas não tinham por causa da pandemia de Covid-19. Comprei no comecinho da epidemia, há uns oito meses.”
ENEM 2020 – Movimentação em frente à Unip em Ribeirão Preto (SP) aumenta com a proximidade do horário de fechamento dos portões
Pedro Martins/G1
Ele relata que só conseguia estudar à noite em casa, porque durante o dia precisava trabalhar como vigilante de carros na Avenida Nove de Julho, região central da cidade, além de ajudar colegas a lavar automóveis.
“Eu continuei trabalhando como vigia. Eu trabalhava de dia e à noite estudava. Chegava em casa às 16h, jantava, tomava um banho e estudava até meia-noite, 1h da manhã. No outro dia, voltava para a avenida às 8h”, diz.
Enem na região
José é um dos 48.349 inscritos para o Enem em 19 cidades da região. Somente em Ribeirão Preto, são 16.250 candidatos a prestarem a prova neste e no próximo domingo (24) em meio à pandemia do novo coronavírus.
Neste domingo, o exame terá como tema Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Redação e Ciências Humanas e suas Tecnologias, com 45 questões de múltipla escolha sobre língua portuguesa, literatura, língua estrangeira (inglês ou espanhol), artes, educação física e tecnologias da informação e comunicação, história, geografia, filosofia e sociologia.
No dia 24, os temas abordados serão Ciências da Natureza e suas Tecnologias e Matemática e suas Tecnologias, com perguntas sobre química, física, biologia e matemática.
Originalmente, o exame seria feito em novembro, mas foi adiado devido à pandemia do novo coronavírus.
Entidades estudantes e a Defensoria Pública solicitaram um novo adiamento das provas, mas a Justiça negou o pedido e deu autonomia às cidades para decidir como proceder em relação ao exame.
Veja mais notícias da região no G1 Ribeirão Preto e Franca
Initial plugin text