Estudantes catarinenses revelam o que sentem um dia antes da prova do Enem

SC tem 118 mil participantes inscritos para o Enem neste domingo

SC tem 118 mil participantes inscritos para o Enem neste domingo

Um dia antes da primeira prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), os estudantes catarinenses seguem se preparando. São 118 mil inscritos em Santa Catarina. Este ano, além do desafio de enfrentar uma prova que pode ter até 5h30 de duração, a preocupação com a Covid-19 também ronda a cabeça dos jovens. Junto da tradicional caneta e dos documentos, eles separaram suas máscaras, item obrigatório nos locais de prova.

Os estudantes ouvidos pelo G1 SC esperam que as medidas sanitárias sejam cumpridas para que possam se sentir mais seguros e se concentrar melhor no conteúdo das questões. A preocupação é maior entre os alunos de escolas públicas por causa da falta de aulas em 2020. As atividades foram à distância e nem sempre contaram com videoaulas.

O Enem avalia o desempenho do aluno e colabora para o acesso à educação superior e ao financiamento estudantil. A primeira fase da prova, neste domingo (17), terá questões de Língua Portuguesa, Literatura, Língua Estrangeira (Inglês ou Espanhol), Artes, Educação Física e Tecnologias da Informação e Comunicação e Redação.

Os locais devem abrir às 11h30 e a prova começa às 13h. Deve haver distanciamento entre as carteiras de 1,5 metro, disponibilização de álcool em gel 70%, além do uso obrigatório de máscara.

Veja abaixo as expectativas de sete estudantes ouvidos pelo G1 SC para o Enem:

‘Estamos em um sistema de educação muito desigual’

Candidato de SC fala da expectativa para prova do Enem

Candidato de SC fala da expectativa para prova do Enem

Natural de Chapecó, no Oeste catarinense e morador de São José, na Grande Florianópolis, Artur Vinícius Zimmerman, de 19 anos, vai fazer a prova do Enem pela quinta vez. Para ele, o principal desafio aos estudantes este ano, além da pandemia, é o fato de muita gente ter ficado sem aula presencial em 2020.

“Vai ser uma prova em que muitas pessoas vão encontrar bastante dificuldade, principalmente porque, no Brasil, estamos em um sistema de educação muito desigual. Principalmente os alunos de escola pública vão enfrentar uma parada dura neste ano porque ficaram muito tempo sem aula e com dificuldades técnicas dentro de suas casas. As pessoas que estão enfrentando o exame saíram de patamares muito diferentes umas das outras. O que já afeta normalmente, mas este ano vai afetar ainda mais”, afirma.

Com isso, o candidato acredita que algumas pessoas possam achar o nível de dificuldade maior. Ele acredita que as orientações do Inep sobre a segurança sanitária tem sido boa, mas que, como a prova envolve muita gente entre alunos e fiscais de provas e outros trabalhadores, há sim preocupação.

“A prova deveria ser adiada sim porque foi um ano muito diferente. Além disso, o Inep fez uma enquete perguntando qual deveria ser a nova data do Enem e ela foi totalmente ignorada”, disse. Veja o relato completo de Vinicius no vídeo acima.

‘Insegura de estar em uma sala com outras pessoas por tanto tempo’

A estudante Mariah Koerich Pereira considera a realização da prova do Enem "completamente irresponsável" — Foto: Mariah Koerich Pereira/Arquivo Pessoal 1 de 6
A estudante Mariah Koerich Pereira considera a realização da prova do Enem “completamente irresponsável” — Foto: Mariah Koerich Pereira/Arquivo Pessoal

A estudante Mariah Koerich Pereira considera a realização da prova do Enem “completamente irresponsável” — Foto: Mariah Koerich Pereira/Arquivo Pessoal

Em Florianópolis, a estudante de 19 anos Mariah Koerich Pereira fará a prova pela quarta vez. A preparação durante todo o ano passado foi intensa e ela se sente preparada, pelo menos para o conteúdo das provas.

“A questão do coronavírus me assusta. Já fiz uma prova de vestibular em novembro e, embora tenha sido divulgado antes que todos os cuidados seriam tomados, a realidade não foi essa: houve aglomeração na entrada e as cadeiras não estavam devidamente espaçadas respeitando uma distância mínima de 1,5m. Não sei exatamente se todos os protocolos serão seguidos estritamente nos locais de prova do Enem, mas, de antemão, já me sinto insegura de estar em uma sala com outras pessoas por tanto tempo, mesmo que usando máscaras, álcool gel e distanciamento”, afirmou.

Mesmo desejando fazer o teste, Mariah afirma que a realização da prova neste momento de pandemia é “completamente irresponsável”.

‘Estou com medo e receio’

“Espero que tenha distanciamento mesmo, que a quantidade de aluno por sala esteja reduzida”, pede Priscila Mendes, de 17 anos, estudante do 3º ano do Ensino Médio no maior colégio estadual de Santa Catarina, o Instituto Estadual de Educação (IEE).

Estudante do maior colégio estadual relatava em 2020 também preocupação com colegas que não tem internet — Foto: Priscila Mendes/Arquivo pessoal 2 de 6
Estudante do maior colégio estadual relatava em 2020 também preocupação com colegas que não tem internet — Foto: Priscila Mendes/Arquivo pessoal

Estudante do maior colégio estadual relatava em 2020 também preocupação com colegas que não tem internet — Foto: Priscila Mendes/Arquivo pessoal

Em 2020, ela compartilhou com o G1 como estava estudando durante as atividades remotas para tentar uma vaga para cursar nutrição. Para ela, o desafio, além dos cuidados por causa do coronavírus, será a redação.

“A redação é o que mais me assusta. Nunca fiz a prova do Enem, estou com medo e com receio, não me sinto totalmente preparada. Gostaria que a prova fosse adiada, pois não foi um ano comum para ninguém, e creio que a maioria das pessoas estão inseguras quanto ao vírus e ao ensino também. O 3º ano do ensino médio é uma revisão e preparação para o Enem e vestibulares, e tendo aula à distância, não foi a mesma coisa”, afirma.

‘Me assusta ter contato com grupo de risco’

Realizando o Enem pela primeira vez, Eduarda Martins Schmidt, de 17 anos, diz não se sentir preparada, especialmente com as questões de Física após não ter aula presencial em 2020. Ela estava no 3º ano do Ensino Médio de uma escola estadual em Florianópolis com atividades remotas aos alunos.

“Já pensei muito sobre a possibilidade de adiamento da prova. Apesar dos casos de Covid-19, acho que se adiarem vou perder o ano”, afirma. Ano passado ela já havia relatado ao G1 SC a preocupação com a preparação para o Enem por causa da pandemia.

Eduarda Martins Schmidt estudou em casa tentando se preparar para o Enem — Foto: Eduarda Martins Schmidt/Arquivo pessoal 3 de 6
Eduarda Martins Schmidt estudou em casa tentando se preparar para o Enem — Foto: Eduarda Martins Schmidt/Arquivo pessoal

Eduarda Martins Schmidt estudou em casa tentando se preparar para o Enem — Foto: Eduarda Martins Schmidt/Arquivo pessoal

A possibilidade de ter contato com pessoas do grupo de risco sem saber se tem ou não coronavírus também está entre as preocupações de Eduarda. Ela tem dúvidas se receberá orientações sanitárias adequadas no local de prova.

‘”Me assusta eu ter contato com o pessoal do grupo de risco. […] São muitas pessoas para orientarem, então não sei se vai ter pessoas o suficiente para isso”, afirma.

‘Tento pensar positivo’

A estudante Victoria Kelss Pereira, de 18 anos, vai fazer o Enem pela primeira vez em São José. Ela diz estar preocupada com a segurança sanitária da prova

Segundo Victoria, os momentos mais críticos serão na hora de beber água e se alimentar.

Victoria Kelss Pereira vê riscos sanitários na realização do Enem no domingo — Foto: Victoria Kelss Pereira/Arquivo Pessoal 4 de 6
Victoria Kelss Pereira vê riscos sanitários na realização do Enem no domingo — Foto: Victoria Kelss Pereira/Arquivo Pessoal

Victoria Kelss Pereira vê riscos sanitários na realização do Enem no domingo — Foto: Victoria Kelss Pereira/Arquivo Pessoal

“Por conta das condições adversas que tivemos em 2020, minha expectativa não está lá das melhores. A mudança brusca para o ensino remoto foi uma coisa que prejudicou muito meus estudos e minha produtividade. Mas tento pensar positivo”, explicou.

Para ela, mesmo com o esforço nos estudos acumulado durante o ano, o Enem deveria ser adiado. “Acho que estamos num momento muito crítico da pandemia. Reunir um monte de jovens numa sala apertada e, muitas vezes, sem estrutura não é uma ideia tão boa”, concluiu.

‘Mais um adversário na hora da prova’

Outro inscrito no Enem que estudou em casa foi Aldo de Souza Martins, de 18 anos. Ele também fez um cursinho pré-vestibular online e vai fazer o exame pela segunda vez com objetivo se conseguir uma vaga no curso de educação física.

Aldo vai fazer a prova do Enem e diz que a pandemia será mais um adversário na prova — Foto: Aldo Martins/Arquivo pessoal 5 de 6
Aldo vai fazer a prova do Enem e diz que a pandemia será mais um adversário na prova — Foto: Aldo Martins/Arquivo pessoal

Aldo vai fazer a prova do Enem e diz que a pandemia será mais um adversário na prova — Foto: Aldo Martins/Arquivo pessoal

Preocupado com os cuidados por causa da pandemia, Aldo acredita que as regras sanitárias sejam cumpridas. Para ele, apesar da situação da Covid-19 no estado, o ideal é que a prova seja mantida. “Pois é umas das poucas oportunidades que teremos este ano”, diz.

“Infelizmente assusta, porém espero que os organizadores consigam fazer um bom trabalho. Tenho um pouco de medo sim, vai ser mais um adversário na hora da prova”, afirma.

‘A prova deveria ser adiada’

Em Palhoça, também na Grande Florianópolis, Mariáh da Silveira Gaspar, de 18 anos vai para a quarta prova para o Enem. Ela fez a prova duas vezes para treino e uma outra “valendo” em 2019.

A candidata espera que a experiência acumulada a faça atingir a nota necessária para poder cursar a graduação dos sonhos: medicina.

“A questão da preparação para a prova foi perdida esse ano, no meu caso, eu me considero muito privilegiada nesse sentido, mas infelizmente não é a realidade nem de 20% do Brasil. Então, eu acho que a prova deveria sim ser adiada para que seja possível uma melhor preparação dos alunos e uma melhor realidade em relação ao coronavírus, afinal o Enem é uma prova muito extensa e de nível difícil”, disse.

"Não me parece o ideal nesse momento de surto, ainda que com uma boa orientação", afirma Mariáh da Silveira Gaspar sobre a realização da prova do Enem — Foto: Mariáh da Silveira Gaspar/Arquivo Pessoal 6 de 6
“Não me parece o ideal nesse momento de surto, ainda que com uma boa orientação”, afirma Mariáh da Silveira Gaspar sobre a realização da prova do Enem — Foto: Mariáh da Silveira Gaspar/Arquivo Pessoal

“Não me parece o ideal nesse momento de surto, ainda que com uma boa orientação”, afirma Mariáh da Silveira Gaspar sobre a realização da prova do Enem — Foto: Mariáh da Silveira Gaspar/Arquivo Pessoal

Vídeos com aulões para o Enem:

Veja outras notícias do estado no G1 SC