Enem digital tem 68% de abstenção, anuncia Inep


Problemas técnicos foram registrados no Amapá, Distrito Federal, em Minas Gerais e no Tocantins. Novo formato do exame, aplicado em computador, deverá virar o padrão para todos os candidatos em alguns anos. Candidatos são dispensados do Enem digital após erro no sistema em Taguatinga, no DF
Walder Galvão/G1
O Inep, organizador do Enem, anunciou uma abstenção de 68% entre os 96 mil candidatos confirmados na versão digital do exame, que ocorre neste domingo e no próximo (7/2). Um total de 34.590 pessoas fizeram a prova neste primeiro dia.
O presidente da autarquia, Alexandre Lopes, disse que “tivemos alguns problemas, mas todo processo inédito está sujeito a obstáculos”. O Enem digital registrou falhas técnicas em alguns locais do país:
Candidatos de Belo Horizonte tiveram que esperar até 2 horas para o início da prova;
No Distrito Federal, estudantes foram dispensados após erro no sistema;
No Tocantins, problemas técnicos foram registrados em pelo menos três locais de provas;
No Amapá, o único local do exame no estado apresentou problemas estruturais e foi interditado.
De acordo com Lopes, 93 mil máquinas foram usadas no Enem digital. Sobre o alto número de abstenções, declarou que é “em função da pandemia”.
Formato digital do Enem divide opiniões de candidatos após saída da prova
Mais cedo, o ministro da Educação, Milton Ribeiro, comentou as falhas e citou uma sobrecarga no sistema. “Ainda não tenho todos os relatos de problemas, mas isso iria acontecer por causa de sobrecarga do sistema.”
Ele também disse que os candidatos que enfrentaram essas dificuldades poderão fazer o exame nos dias 23 e 24 de fevereiro.
Especialistas em educação ouvidos pelo G1 afirmam que obstáculos precisarão ser superados para que o Enem digital seja aplicado para mais de 5,5 milhões de estudantes que fazem a versão impressa.
Informação
Camilo Mussi, diretor de tecnologia do Inep, ressaltou a grande quantidade de informação que o exame digital agora oferece: “Você tem o horário exato que cada participante começou ou terminou a prova. O tempo de pausa. Sabe em tempo real quem foi eliminado. São diversas informações”.
Afirmou que nenhum problema de segurança foi detectado que pudesse afetar a lisura do processo.
Apesar de a prova ser digital, a redação é manuscrita, não digitada.
Alunos contam que optaram pelo Enem digital por ‘aventura’ e novidade, mas temem computador ‘perder tudo’
Neste ano, serão três versões diferentes do Enem:
impressa, em 17 e 24 de janeiro;
impressa, em 23 e 24 de fevereiro, na reaplicação do exame (para candidatos do Amazonas, por exemplo, onde a prova foi adiada; privados de liberdade; afetados por problemas logísticos, como falta de luz no local de prova; e pessoas com doenças infectocontagiosas);
digital, em 31 de janeiro e 7 de fevereiro.
São questões e temas de redação diferentes. O nível de dificuldade, por outro lado, é sempre o mesmo, por causa da Teoria de Resposta ao Item (entenda aqui).
Enem 2020: Os mitos sobre a prova digital
Vídeos sobre Enem