Enem 2020: mais de 60 mil inscritos fazem prova neste domingo em Rondônia; em duas cidades exame foi suspenso

Candidatos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020, em Rondônia, participam neste domingo (17) do primeiro dia de aplicação da versão impressa. Os participantes responderam questões de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Ciências Humanas e suas Tecnologias além de produzir uma redação.

Cerca de 3,8 mil inscritos de duas cidades do estado não fizeram a prova neste domingo após decisão das prefeituras pelo momento crítico da pandemia de Covid-19: Rolim de Moura e Espigão D’Oeste se juntam a outras 56 cidades do Amazonas que não tiveram aplicação do exame. No estado vizinho, a ordem de suspensão veio da Justiça Federal.

O Enem em Rondônia acontece durante a vigência de um decreto estadual de isolamento social restritivo em mais da metade dos municípios do estado. O decreto, dentre outras coisas, determina toque de recolher entre 20h e 6h por 10 dias a partir deste domingo.

Segundo o Instituto Nacional de Estudos Educacionais Anísio Teixeira (Inep), 68.659 candidatos tiveram as provas marcadas para esse domingo em Rondônia. Mais de 17 mil candidatos têm 18 ou 19 anos e outros 26,5 mil têm entre 21 e 30 anos.

Candidatas protegidas

Enem 2020 em Porto Velho - Vitória Freitas Texeira, de 17 anos, tentou uma proteção extra para fazer a prova do Enem em Porto Velho. Ela quer cursar medicina. — Foto: Vitória Freitas/Arquivo pessoal 1 de 2
Enem 2020 em Porto Velho – Vitória Freitas Texeira, de 17 anos, tentou uma proteção extra para fazer a prova do Enem em Porto Velho. Ela quer cursar medicina. — Foto: Vitória Freitas/Arquivo pessoal

Enem 2020 em Porto Velho – Vitória Freitas Texeira, de 17 anos, tentou uma proteção extra para fazer a prova do Enem em Porto Velho. Ela quer cursar medicina. — Foto: Vitória Freitas/Arquivo pessoal

A estudante Vitória Freitas Teixeira, de 17 anos, quer cursar medicina e usou um avental e touca descartáveis para diminuir o risco de contágio pelo novo coronavírus durante a prova, em Porto Velho.

A mesma precaução teve a auxiliar de dentista da área indígena Eliene Leoteris, que, por ordem da chefia, se paramentou para fazer a prova em Ji-Paraná.

Enem 2020: Ji-Paraná, RO - Eliene Leoteris da Silva, auxiliar de dentista da área indígena. — Foto: Élida Geovana/Rede Amazônica 2 de 2
Enem 2020: Ji-Paraná, RO – Eliene Leoteris da Silva, auxiliar de dentista da área indígena. — Foto: Élida Geovana/Rede Amazônica

Enem 2020: Ji-Paraná, RO – Eliene Leoteris da Silva, auxiliar de dentista da área indígena. — Foto: Élida Geovana/Rede Amazônica

Também foram registrados episódios de candidatos que confundiram locais de aplicação e tiveram que correr para não perder o exame. Em Porto Velho, uma jovem chegou de moto na Escola Estadual 4 de Janeiro, cerca de 15 minutos após o fechamento do portão. Ela confundiu o horário com o de Brasília.

Entre as dificuldades relatadas pelos participantes ao G1, CBN Amazônia e Rede Amazônica estava a mudança de rotina por causa da pandemia e suspensão do ensino presencial.

O Enem é considerado o maior vestibular do país, e a nota serve para disputar vagas em universidades e ter acesso a programas de bolsas (Prouni) ou financiamento de mensalidade (Fies).

VÍDEOS: Educação

200 vídeos

Enem 2020: aulão tira dúvidas sobre Geografia

Enem 2020: aulão tira dúvidas sobre movimentos literáriosEnem 2020: tire dúvidas sobre gramática instrumental e reflexiva