Enem 2020: 2º dia em Campinas tem aniversariante na prova, 4 candidatas sem RG e avaliação de que dificuldade foi menor

Enem 2020 - dia 2 - Campinas - A 1h12 do fechamento dos portões, movimento no Liceu Salesiano, em Campinas, começa a aumentar — Foto: Rafael Smaira/G1 1 de 8
Enem 2020 – dia 2 – Campinas – A 1h12 do fechamento dos portões, movimento no Liceu Salesiano, em Campinas, começa a aumentar — Foto: Rafael Smaira/G1

Enem 2020 – dia 2 – Campinas – A 1h12 do fechamento dos portões, movimento no Liceu Salesiano, em Campinas, começa a aumentar — Foto: Rafael Smaira/G1

O segundo dia de provas do Enem em Campinas (SP) foi marcado por candidatas sem RG excluídas, aniversariante que ‘comemorou’ fazendo o exame e questões consideradas, pelos estudantes, menos complexas do que as do primeiro domingo. O G1 esteve em dois locais de prova na metrópole e permaneceu nas unidades desde a abertura dos portões, às 11h30, até o fim do exame, às 19h.

No campus da Unip Swift, quatro estudantes foram retiradas das salas por não portarem documento com foto, documento obrigatório para realização da prova. Além disso, a candidata Lindsay Vogt Salles, de 33 anos, foi retirada do local de prova por apresentar febre.

Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela aplicação do Enem, informou que as quatro candidatas retiradas por conta dos documentos não se inscreverão no Sisu, mas podem ver a nota do primeiro dia para autoavaliação.

Já o caso de Lindsay, o instituto afirmou que ela poderá pedir a reaplicação da prova, pois apresentou sintomas de doença infectocontagiosa.

Após o fechamento dos portões, não houve atrasos. Ao todo, 61,3 mil candidatos estavam inscritos nas 19 cidades da área de cobertura do G1 Campinas, segundo dados do Inep.

ENEM 2020 - DIA 2 - CAMPINAS - Portões reabertos para saída dos estudantes no Liceu Salesiano de Campinas — Foto: Rafael Smaira/G1 2 de 8
ENEM 2020 – DIA 2 – CAMPINAS – Portões reabertos para saída dos estudantes no Liceu Salesiano de Campinas — Foto: Rafael Smaira/G1

ENEM 2020 – DIA 2 – CAMPINAS – Portões reabertos para saída dos estudantes no Liceu Salesiano de Campinas — Foto: Rafael Smaira/G1

Longo percurso

O primeiro candidato a chegar no Liceu Salesiano, Kevin Alberto da Silva Oliveira, de 20 anos, é morador da Zona Leste da capital e relatou que o trajeto até o local de prova envolveu aglomeração no transporte público e insegurança.

“Eu peguei o trajeto da linha 12 – Safira, e o que não falta é aglomeração do começo ao fim. Aí fui para a Luz, que é muito pior, tive que pegar a rodoviária e tive que sentar ao lado de uma senhora que estava muito próxima de mim. Se ela tivesse Covid, eu poderia ter pegado facilmente”, disse.

Kevin Alberto da Silva Oliveira, de 20 anos, viajou da capital para fazer a prova em Campinas e enfrentou aglomeração — Foto: Rafael Smaira/G1 3 de 8
Kevin Alberto da Silva Oliveira, de 20 anos, viajou da capital para fazer a prova em Campinas e enfrentou aglomeração — Foto: Rafael Smaira/G1

Kevin Alberto da Silva Oliveira, de 20 anos, viajou da capital para fazer a prova em Campinas e enfrentou aglomeração — Foto: Rafael Smaira/G1

Aniversariante

Já a candidata Ana Paula Pimenta de Oliveira, de Campinas (SP), fez aniversário de 18 anos neste domingo, no segundo dia do Enem. “É bem chato, mas é a vida. Alguns não têm tanta sorte”, comentou. Ela realizou a prova na Universidade Paulista (Unip).

Após a finalização do exame, a candidata diz que irá comemorar a maioridade seguindo todos os protocolos sanitários obrigatórios. “Depois da prova, terá um churrasco só com a família, por conta da pandemia”, finalizou a estudante.

 Estudante Ana Paula Pimenta de Oliveira faz 18 anos no segundo dia de prova do Enem — Foto: Bruna Ferreira/G1 4 de 8
Estudante Ana Paula Pimenta de Oliveira faz 18 anos no segundo dia de prova do Enem — Foto: Bruna Ferreira/G1

Estudante Ana Paula Pimenta de Oliveira faz 18 anos no segundo dia de prova do Enem — Foto: Bruna Ferreira/G1

Impressões

A prova trouxe questões sobre funcionamento do fone de ouvido, consumo de etanol por carros elétricos, cálculo de orçamento familiar, uso de óleos essenciais e proteção contra raios, segundo professores do cursinho Descomplica que fizeram a avaliação.

Também foram mencionados fenômenos como vazamento de petróleo e nanotecnologia. De acordo com Leonardo Gomes, professor de física do Descomplica, uma das perguntas comparava uma miniatura da Torre Eiffel à construção em tamanho real; outra exigia que o aluno dominasse o princípio de fissão nuclear em uma bomba atômica.

Em Campinas, os candidatos analisaram a prova como fácil e elogiaram as medidas de segurança e prevenção à Covid-19 adotadas nas salas. Veja abaixo.

Luiza Honório, 18 anos, quer cursar pedagogia — Foto: Rafael Smaira/G1 5 de 8
Luiza Honório, 18 anos, quer cursar pedagogia — Foto: Rafael Smaira/G1

Luiza Honório, 18 anos, quer cursar pedagogia — Foto: Rafael Smaira/G1

Luiza Honório, de 18 anos, quer cursar pedagogia e disse que sentiu a prova de exatas mais fácil que a de humanas, apesar de não ser a área que tem maior afinidade. Ela afirmou que os textos estavam mais curtos e as questões se relacionavam à vivência dos candidatos, e não exclusivamente ao conteúdo técnico da escola.

“O que eu acho interessante do Enem é que eles destacam temas bem atuais. A gente às vezes não sabe realmente a matéria, mas por saber de um assunto da vida cotidiana, a gente acaba sabendo a questão”, ressaltou.

Já Talia Pacheco dos Santos Rodrigues, de 21 anos, concorre a uma vaga no curso de direito e destacou a presença de questões sobre o meio ambiente, abordando temas como descarte irregular de lixo e vazamento de petróleo no nordeste. A mãe de Talia, Etelvina Pacheco dos Santos, 44 anos, permaneceu esperando a filha na porta desde o fechamento dos portões.

Talia Pacheco dos Santos Rodrigues, de 21 anos, e a mãe Etelvina Pacheco dos Santos, de 44 anos, em frente ao local de prova em Campinas — Foto: Rafael Smaira/G1 6 de 8
Talia Pacheco dos Santos Rodrigues, de 21 anos, e a mãe Etelvina Pacheco dos Santos, de 44 anos, em frente ao local de prova em Campinas — Foto: Rafael Smaira/G1

Talia Pacheco dos Santos Rodrigues, de 21 anos, e a mãe Etelvina Pacheco dos Santos, de 44 anos, em frente ao local de prova em Campinas — Foto: Rafael Smaira/G1

Isabela Alves dos Santos, de 18 anos, busca cursar enfermagem. Em relação à prova, a candidata lembra de questões que compararam os diferentes tipos de tratamento contra o câncer e afirmou ter se sentido mais segura em relação às medidas sanitárias no segundo dia.

“Foi melhor do que semana passada, porque pediram para tirar a máscara para identificar no documento, e hoje não foi realizado esse procedimento”, afirmou Isabela.

Isabela Alves dos Santos, de 18 anos, realizou o exame em Campinas — Foto: Bruna Ferreira/ G1 7 de 8
Isabela Alves dos Santos, de 18 anos, realizou o exame em Campinas — Foto: Bruna Ferreira/ G1

Isabela Alves dos Santos, de 18 anos, realizou o exame em Campinas — Foto: Bruna Ferreira/ G1

O candidato Felipe Roberto Caruso, de 22 anos, quer cursar economia e destacou questões da prova que traziam o raciocínio para o cotidiano do candidato, sobretudo uma pergunta relacionada a ruídos no fone de ouvido. Ele disse que conseguiu responder por já ter pesquisado sobre o assunto para comprar um fone.

Segundo ele, grande parte das questões abordava tecnologia, e a parte de matemática também trazia questões de lógica. Felipe ressaltou ainda que, na sala em que realizou o exame, as pessoas estavam todas de máscara, respeitando o momento de comer e beber água e depois colocando de novo.

Felipe Roberto Caruso, de 22 anos, elogiou a prova deste domingo — Foto: Rafael Smaira/G1 8 de 8
Felipe Roberto Caruso, de 22 anos, elogiou a prova deste domingo — Foto: Rafael Smaira/G1

Felipe Roberto Caruso, de 22 anos, elogiou a prova deste domingo — Foto: Rafael Smaira/G1

*Sob supervisão de Arthur Menicucci e Gabriella Ramos