Candidatos da Fuvest fazem fila com distanciamento para acessar local de prova em Ribeirão Preto

Candidatos formam fila com distanciamento para entrar em local de prova da Fuvest em Ribeirão Preto, SP — Foto: Pedro Martins/G1 1 de 5
Candidatos formam fila com distanciamento para entrar em local de prova da Fuvest em Ribeirão Preto, SP — Foto: Pedro Martins/G1

Candidatos formam fila com distanciamento para entrar em local de prova da Fuvest em Ribeirão Preto, SP — Foto: Pedro Martins/G1

Após um princípio de aglomeração, candidatos organizaram fila com distanciamento para acessar o prédio da faculdade Anhanguera, um dos locais da prova da Fuvest em Ribeirão Preto (SP) neste domingo (10).

Antes da abertura dos portões, às 12h, pais e estudantes aguardaram dentro dos carros, nas sombras das árvores e embaixo de marquises de estabelecimentos próximos.

A fila chegou a dobrar o quarteirão da faculdade, que fica na Avenida Eduardo Andrea Matarazzo, no bairro Vila Albertina, na zona Norte.

Movimentação em local de prova da Fuvest neste domingo (10) em Ribeirão Preto, SP — Foto: Pedro Martins/G1 2 de 5
Movimentação em local de prova da Fuvest neste domingo (10) em Ribeirão Preto, SP — Foto: Pedro Martins/G1

Movimentação em local de prova da Fuvest neste domingo (10) em Ribeirão Preto, SP — Foto: Pedro Martins/G1

Faz calor em Ribeirão Preto neste domingo e os termômetros podem chegar aos 34oC . Por causa da pandemia, os ares-condicionados nas salas não poderão ser utilizados, mudança que preocupa candidatos.

“O problema é o calor, ainda mais em Ribeirão Preto. Vou beber água pra ver se facilita. Na Unicamp, fecharam a sala e deixaram o ar-condicionado ligado, aí não prejudicou em nada”, diz a estudante Caroline Gomes de Oliveira, de Juruaia (MG).

Candidata a uma vaga no curso de direito, Maria Fernanda Martins, de 18 anos, também acredita que o calor pode dificultar a concentração na hora da prova.

“Está muito sol, muito quente e também vai dificultar muito durante a prova porque não vai ter ar-condicionado”, diz.

Maria Fernanda Martins, de 18 anos, moradora de Jardinópolis, SP, busca uma vaga no direito da USP — Foto: Pedro Martins/G1 3 de 5
Maria Fernanda Martins, de 18 anos, moradora de Jardinópolis, SP, busca uma vaga no direito da USP — Foto: Pedro Martins/G1

Maria Fernanda Martins, de 18 anos, moradora de Jardinópolis, SP, busca uma vaga no direito da USP — Foto: Pedro Martins/G1

Último apoio antes da prova

A coordenadora de cursinho Roberta Duarte Coteiro e a assistente de coordenação Tatiana Moraes deram o último apoio aos estudantes antes do exame.

Elas entregaram água, caneta azul, lápis, borracha, chocolate e balas e água para alunos que se prepararam ao longo de 2020 na instituição educacional na qual trabalham.

“A gente achou importante estar junto agora. Na pandemia, ficamos juntos remotamente. Tivemos reuniões com os alunos esta semana e sentimos que o nervosismo deles estava mais relacionado à pandemia do que à Fuvest, então decidimos vir dar este apoio, para que eles se sentissem seguros e acolhidos”, diz Roberta.

Roberta Duarte Coteiro e Tatiana Moraes, que trabalham em cursinho, dão último apoio a candidatos antes da prova da Fuvest em Ribeirão Preto, SP — Foto: Pedro Martins/G1 4 de 5
Roberta Duarte Coteiro e Tatiana Moraes, que trabalham em cursinho, dão último apoio a candidatos antes da prova da Fuvest em Ribeirão Preto, SP — Foto: Pedro Martins/G1

Roberta Duarte Coteiro e Tatiana Moraes, que trabalham em cursinho, dão último apoio a candidatos antes da prova da Fuvest em Ribeirão Preto, SP — Foto: Pedro Martins/G1

Sabendo da ansiedade e das dificuldades enfrentadas por causa da pandemia, a professora Mônica Casteli Prini, mãe da estudante Isabela Prini Gonçalves, diz que apoio e compreensão da família são essenciais para dar mais confiança aos jovens.

“A gente incentiva, a gente tenta proporcionar todos os acessos possíveis para que ela tenha esse estudo. A gente sempre procurou uma escola boa, cursos on-line, só que a gente sempre deixa claro que tudo tem seu tempo e que ela tem que seguir a rotina e o ritmo dela, não ficar se comparando com outras pessoas. É o esforço que ela vai colher no futuro, seja agora ou depois”, afirma.

A estudante Isabela Prini Gonçalves, de Mococa (SP), recebe apoio dos pais antes da prova da Fuvest em Ribeirão Preto, SP — Foto: Pedro Martins/G1 5 de 5
A estudante Isabela Prini Gonçalves, de Mococa (SP), recebe apoio dos pais antes da prova da Fuvest em Ribeirão Preto, SP — Foto: Pedro Martins/G1

A estudante Isabela Prini Gonçalves, de Mococa (SP), recebe apoio dos pais antes da prova da Fuvest em Ribeirão Preto, SP — Foto: Pedro Martins/G1