Apenas 5% dos alunos da rede pública terminam o ensino médio com conhecimentos adequados de matemática

Giz e lousa em sala de aula — Foto: Marcos Santos/USP Imagens 1 de 1
Giz e lousa em sala de aula — Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Giz e lousa em sala de aula — Foto: Marcos Santos/USP Imagens

De cada 100 estudantes que concluíram o ensino médio em escolas públicas brasileiras em 2019, apenas 5 alcançaram o nível esperado de conhecimentos em matemática. É o que aponta o Sistema de Avaliação do Ensino Básico (Saeb) 2019 — última avaliação nacional antes da pandemia.

A maior parte dos alunos (54%) demonstrou ter domínio insuficiente da disciplina, e 41% deles aprenderam só o básico.

Os dados, divulgados no fim de 2020 pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), foram tabulados e analisados nesta quarta-feira (24) pela plataforma QEdu, com apoio da Fundação Lehmann.

Desde o início da pandemia de Covid-19, quando as escolas foram fechadas, não houve um levantamento nacional que mostrasse o impacto na aprendizagem de crianças e jovens. É possível que, com as dificuldades de acesso ao ensino remoto, os números já preocupantes fiquem ainda piores.

Justamente os estados que enfrentam maior crise sanitária, como o Amazonas, já registravam, em 2019, índices abaixo da média nacional. Apenas 2% dos alunos de lá aprenderam o adequado em matemática no último ano do ensino médio. No Pará, 1%.

Desempenho piora entre os mais velhos

O desempenho dos alunos cai conforme eles avançam no fluxo escolar. Segundo o Saeb 2019, os índices de aproveitamento em matemática são mais altos nos anos iniciais.

Veja, abaixo, a porcentagem de estudantes com conhecimentos adequados na disciplina, por etapa avaliada:

  • 5º ano do ensino fundamental: 47%
  • 9º ano do ensino fundamental: 18%
  • 3º ano do ensino médio: 5%

Domínio de português

Em português, o Saeb 2019 mostra que 31% dos estudantes da rede pública terminaram a escola com os conhecimentos adequados.

É observada a mesma tendência de queda a cada ciclo avaliado: no 5º ano do ensino fundamental, foram 57%; e no 9º ano, 36%.